Cognitivo Significado: O Que É e Onde Se Aplica!

Cognitivo Significado: O Que É e Onde Se Aplica!

No ramo da psicologia, você já deve ter pesquisado “cognitivo significado” para entender mais sobre essa palavra que tanto nos cerca. A cognição pode ser entendida como o papel exercido pela inteligência ao assimilar um conhecimento novo.

Aprofundando um pouco mais no conceito, percebe-se que a cognição está diretamente relacionada à atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem. Juntos, todos esses fatores são corresponsáveis pelo processamento de informações todos os dias.

Desde criança conseguimos construir um repertório cognitivo, repleto de assimilações, aprendizados, recordações e pensamentos, sejam bons ou ruins. Ao entender a estreita relação entre a cognição e os comportamentos, a Psicologia investiga até hoje os aspectos dessas conexões.

A Terapia Cognitivo-Comportamental surgiu nesse cenário, com a proposta de tratar os transtornos psicológicos, trabalhando as distorções cognitivas. Essa abordagem da Psicologia é uma das mais estudadas e tem a eficácia comprovada para o tratamento de diversos casos.

Continue a leitura para entender o significado de cognição e como ela está presente na sua vida.

Cognitivo: significado do termo

O termo cognição vem da raiz latina “cognoscere”, que significa “conhecer”. Dessa forma, quando se fala de cognição, geralmente refere-se a tudo o que está relacionado com o conhecimento, seja pelo acúmulo de informações pela aprendizagem ou experiência. 

Cognição é uma função psicológica relacionada ao aprendizado e à elaboração de conhecimento, bem como o desenvolvimento emocional. Também conhecida como capacidade cognitiva ou até mesmo desenvolvimento cognitivo, a cognição é um termo usado para se referir à capacidade de adquirir conhecimento e desenvolver emoções, tendo como base o raciocínio, linguagem e memória, dentre outros.

Dessa forma, o desenvolvimento cognitivo de cada indivíduo é diretamente responsável pela forma como ele irá se comportar, aprender e se relacionar com os estímulos que estão à sua volta. Trata-se da capacidade do cérebro de perceber, raciocinar e armazenar todas as informações captadas pelos sentidos.

Ao analisar o conceito de cognição pelo lado psicológico, entende-se que a cognição é a regulação emocional, controle de impulsos e tomada de decisão fundamentais para a saúde mental, qualidade de vida e relações interpessoais saudáveis. 

Como é realizado o processo cognitivo

O cérebro é a peça fundamental na equação do processo cognitivo. Ele realiza uma espécie de triagem para identificar qual será o foco da pessoa a cada momento, de forma que a mente consiga funcionar como um radar, mostrando os elementos realmente relevantes para que sejam processadas.

De forma resumida, cada sujeito tem a oportunidade de se concentrar em uma ou poucas coisas ao mesmo tempo, pois o cérebro está com todo o esforço de pensar no que você está focado e nos outros itens em que não está. 

Ao investigar e aprofundar no processo cognitivo em si, é possível chegar ao modelo apresentado pelo filósofo escocês Thomas Reid. De acordo com os estudos dele, o senso comum deveria ser a base para qualquer reflexão filosófica, pois o ser humano é capaz de analisar o mundo que está à sua volta. Para isso, ele precisa do poder do conhecimento, baseado na cognição.

De forma geral, o processo cognitivo segue três etapas principais:

  1. Sensação: é a primeira etapa do processo mental, em que toda informação conseguida por meio da interação com o ambiente é transformada em sinais elétricos. Esses estímulos irão ser guiados pelos neurônios até alcançar a área sensorial do córtex, produzindo o que entendemos como sensações.
  1. Percepção: é o momento de triagem de toda a informação captada pelos sentidos, visto que a percepção é formada pela seleção, organização e interpretação dessas informações.
  1. Cognição: essa é a última etapa do processo mental, em que acontece a manipulação e processamento das percepções, formando o pensamento em si.

Teoria cognitiva de Piaget

Várias disciplinas estudaram o significado de cognitivo, como a neurologia, psicologia, antropologia e filosofia. Contudo, foi a psicologia cognitiva quem começou a analisar com maior complexidade como o processamento de informações influencia o comportamento, bem como que relação têm os diferentes processos mentais na aquisição do conhecimento.

O psicólogo suíço Jean Piaget defendia a possibilidade de desenvolvimento da inteligência por meio de exercícios que estimulam as habilidades. Dessa forma, ele elaborou a teoria cognitiva, definindo quatro fases de aprendizagem, que se tornaram essenciais na educação:

  • Estágio sensório-motor: período do nascimento até os dois anos de vida. É a fase em que a criança começa a perceber o mundo ao seu redor e, assim, vai conquistando habilidades, como a fala e o equilíbrio.
  • Estágio pré-operacional: período da segunda infância, entre dois e sete anos. Nesse momento, a criança usa o pensamento intuitivo em detrimento da lógica.
  • Estágio operatório-concreto: normalmente contempla o período de 8 aos 12 anos. É a etapa da conquista de autonomia e capacidade de reflexão.
  • Estágio operatório-formal: refere-se ao período entre 12 e 16 anos, em que o raciocínio lógico é desenvolvido.

Como a Terapia Cognitivo-Comportamental se relaciona com a cognição

Os significados que atribuímos aos eventos costumam ser distorcidos ou tendenciosos, podendo ocasionar reações emocionais disfuncionais e destrutivas. É nesse cenário que surge a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), que tem como foco a análise da forma como construímos esses significados e a abordagem dessas distorções, provocando a chamada reestruturação cognitiva.

Como resultado esperado, tende a consolidação de um repertório comportamental saudável e o processamento de emoções que está em sintonia com a saúde mental. 

A TCC conta com recursos terapêuticos extremamente úteis e, muitas vezes, imprescindíveis para o tratamento dos mais diversos casos. O conjunto de técnicas desenvolvidas ao longo dos anos permite que o terapeuta consiga provocar resultados a médio prazo.

A cognição é extremamente importante para a manutenção da qualidade de vida, visto que está relacionada aos processos básicos do processamento de informações. Qualquer alteração no processo cognitivo, ainda que mínima, pode representar um comprometimento significativo na vida do indivíduo. Assim, ele terá alguma dificuldade no processamento de informações e, consequentemente, sensações.

É importante que o indivíduo consiga ser exposto a diversos estímulos diferentes, desde que com acompanhamento de um grupo de apoio, normalmente composto por familiares, que são responsáveis por ajudar no processo de aprendizado ao compartilhar informações e tirar dúvidas pontuais.

A terapia é também recomendada para o desenvolvimento cognitivo, pois tem o papel de construir uma lógica capaz de deixar o sujeito confortável com os comportamentos emitidos e as emoções por trás deles.

O significado do termo cognitivo abre um leque de possibilidades para discussão de profissionais que trabalham com saúde mental. Portanto, é importante conhecer tudo o que diz respeito à cognição.

Quer aprender mais conosco? Continue navegando em nosso blog.

41 3022-2947
WhatsApp: (41) 9 9263-2977
contato@iptc.net.br

SEDE INSTITUCIONAL
Rua Emiliano Perneta, 822 sl 1201
Centro, Curitiba / PR

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Emiliano Perneta, 10 sl 603
Centro, Curitiba / PR

IPTC - Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva.