O que é Transtorno Mental? – Saiba Como Diagnosticar e Tratar!

O que é Transtorno Mental? – Saiba Como Diagnosticar e Tratar!

O senso comum pode tentar explicar o que é transtorno mental, mas precisamos de muito cuidado para lidarmos com pacientes que possuem algum sofrimento mental nesse nível. Isso porque os transtornos mentais são responsáveis pela redução da qualidade de vida de grande parte dos pacientes.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) estima que 30% da população das Américas teve ou desenvolverá um transtorno mental. No Brasil, por exemplo, estudos indicam que os transtornos de depressão e ansiedade, nesse cenário, estão, respectivamente, no quinto e sexto lugar em relação à causa de anos vividos com incapacidade.

É preciso entender como o diagnóstico de transtorno mental funciona para o desenho do melhor plano de tratamento. Isso sem esquecer de considerar que cada caso tem a sua singularidade.

Continue a leitura para conhecer as alternativas para diagnóstico e tratamento do transtorno mental.    

O que é transtorno mental?

Os transtornos mentais podem ser definidos como uma alteração de tipo intelectual, emocional e/ou comportamental, que pode tornar mais difícil a interação do sujeito no meio em que cresce e se desenvolve.  

Os sintomas irão variar para cada tipo de transtorno e de pessoa para pessoa. Nesse caso, dois pacientes com depressão, por exemplo, podem ter sintomas bem diferentes, ainda que possuam alguns em comum. 

Entretanto, existem alguns sintomas mais simples e leves que tendem a ser comuns em grande parte dos pacientes com transtorno mental:

  • confusão mental;
  • dificuldade de pensar seguindo um raciocínio;
  • problemas em se relacionar;
  • alterações no comportamento;
  • deficiência cognitiva.

Todos eles precisam ser acompanhados de perto pela equipe multidisciplinar que deverá ser designada para o tratamento de cada paciente.

Tipos de transtornos mentais

Existem diversos tipos de transtornos mentais, sendo os mais comuns os relacionados à ansiedade, depressão, alimentação, personalidade ou movimentos. Ainda não há maneira cientificamente recomendada e comprovada para prevenir o desenvolvimento de um transtorno mental. 

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM-5), a lista dos principais tipos de transtornos mentais inclui:

  • Transtorno de Ansiedade: síndrome do pânico, ansiedade generalizada, estresse ou fobia;
  • Transtorno Bipolar: indivíduo passa por períodos de depressão alternados com períodos de mania;
  • Transtornos Depressivos;
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (conhecido como TOC);
  • Transtornos Psicóticos: esquizofrenia ou transtorno delirante;
  • Transtornos Alimentares: como anorexia ou bulimia;
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT);
  • Transtornos de Personalidade: antissocial, borderline, histriônica e narcisista;
  • Transtornos relacionados ao uso de substâncias, como drogas ilícitas, álcool, medicamentos ou cigarros, por exemplo;
  • Neurocognitivos: delirium, Alzheimer ou outras demências;
  • Transtorno do Neurodesenvolvimento: deficiências intelectuais, transtornos da comunicação, autismo, déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) ou alterações dos movimentos;
  • Transtornos de Somatização
  • Transtorno Dissociativo: Transtorno de Despersonalização/Desrealização ou amnésia dissociativa;
  • Disforia de Gênero, relacionado ao desenvolvimento sexual;
  • Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta: cleptomania, piromania ou transtorno explosivo;
  • Disfunções Sexuais: ejaculação precoce ou retardada;
  • Transtorno do Sono-vigília: insônia, hipersonolência ou narcolepsia;
  • Transtorno da Eliminação: incontinência urinária ou fecal;
  • Transtornos Parafílicos, relacionados ao desejo sexual;
  • Transtornos do movimento relacionados a efeitos de medicamentos.

Por fim, o manual aponta a existência de diversos outros tipos de transtornos, como os relacionados a problemas sociais, educacionais, profissionais ou econômicos, por exemplo.

Como fazer o diagnóstico de um transtorno mental?

O diagnóstico de um transtorno mental é complexo para ser feito e, devido a isso, demanda da atenção dos profissionais envolvidos nos casos. Cada transtorno específico abrirá portas para o diagnóstico diferencial, visto que existem sintomas específicos para cada transtorno.

A depender do nível de gravidade de um caso, torna-se necessário o encaminhamento para que os profissionais analisem o histórico do paciente como um todo, em um primeiro momento.

Contudo, cabe reforçar que nem todas as pessoas reagem da mesma maneira aos mesmos estímulos. Dessa forma, um diagnóstico realmente bem feito pode demorar meses e, até mesmo, anos para ser feito, pois precisa estar em sintonia com os sintomas apresentados pelo paciente.

O grupo de apoio também exerce papel de suma importância no diagnóstico de um transtorno mental pois estão próximas ao paciente. Assim, são responsáveis por ajudar a equipe profissional com informações acerca dos comportamentos emitidos pelo paciente, que podem ser essenciais para a conclusão de um possível diagnóstico diferencial, por exemplo.

Como realizar o tratamento de um paciente com transtorno mental?

A Medicina avançou e ainda avança muito rapidamente hoje, em sintonia com o avanço tecnológico a nível mundial. Nesse cenário, percebe-se que o transtorno mental está se assemelhando ao máximo da Saúde Pública. 

O primeiro passo para o tratamento é a realização de um bom diagnóstico. Entendendo o que é transtorno mental e com uma boa anamnese poderão ser incluídas participações de profissionais de outras áreas, para cercar o máximo possível. Dessa forma, promoverá as melhores intervenções conjuntas que tem como foco a saúde mental do indivíduo.

A terapia é fundamental no tratamento, para que o indivíduo seja capaz de entender as crenças que estão nutrindo um repertório comportamental disfuncional. Ela também é responsável por ajudar o sujeito a construir autonomia e autoconfiança, bem como trabalhar os relacionamentos interpessoais em todos os contextos.

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) é uma abordagem extremamente adequada para tratamento dos transtornos mentais, pois conta com uma série de técnicas que conseguem analisar quais pontos cognitivos são responsáveis pela manifestação de déficit cognitivo. A Terapia do Esquema é, segundo Young, uma das técnicas da TCC e tem base na teoria do apego ou da vinculação, conforme formulada por John Bowlby. 

Profissionais como fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e pedagogos, por exemplo, podem ter papel fundamental no tratamento de um paciente com algum transtorno mental, uma vez que conseguem ajudar o paciente a se desenvolver e encontrar seus pontos fortes.

Por mais que existam diversos tipos de transtornos mentais e, consequentemente, inúmeras manifestações de sintomas diferentes, algo é comum em praticamente todos os casos: o paciente precisa desenvolver autoconfiança e autonomia.

Assim, é orientado que entendam o que é transtorno mental e mergulhem em um processo de autoconhecimento para, em paralelo ao tratamento médico, sejam capazes de viver uma vida saudável, com um repertório comportamental saudável.

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de baixar nosso e-book gratuito sobre Terapia do Esquema.

41 3022-2947
WhatsApp: (41) 9 9263-2977
contato@iptc.net.br

SEDE INSTITUCIONAL
Rua Emiliano Perneta, 822 sl 1201
Centro, Curitiba / PR

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Emiliano Perneta, 10 sl 603
Centro, Curitiba / PR

IPTC - Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva.