Análise Psicológica Segundo a Terapia do Esquema da Série de TV “Succession”

Análise Psicológica Segundo a Terapia do Esquema da Série de TV “Succession”

Introdução a Terapia do Esquema

A Terapia do Esquema (TE) é um modelo integrativo de psicoterapia cognitiva, desenvolvida a partir dos trabalhos de Jeffrey Young. Inicialmente focada no tratamento dos transtornos de personalidade tem tido grande sucesso também com relacionamentos de casal e familiares.

O fundamento da TE é que o indivíduo necessita ter atendidas em algumas necessidades emocionais básicas desde a infância. Exemplos são as necessidades de conexão, reciprocidade e autonomia. Nesse sentido a qualidade das interações com o ambiente é fundamental. No início da vida ele é praticamente integralmente representado pelos pais ou cuidadores principais, que assim tem grande influência na saúde emocional das crianças. 

Quando as necessidades básicas não são atendidas a contento, podem ser formados os chamados Esquemas Iniciais Desadaptativos. Na verdade, a formação desses esquemas depende da interação da atmosfera emocional inicial com constituição genética individual da criança, muitas vezes desde o período pré-verbal da infância. A genética pode determinar, por exemplo, maior ou menor resistência afetiva a ambientes nocivos. 

Esquemas Iniciais Desadaptativos (EID)

Os EID afetam de forma rígida a visão de mundo, das pessoas e de si mesmo. Situações problemas são aquelas que ativam os EID, que então podem controlara vida mental e dar origem a respostas afetivas e comportamentais disfuncionais. Quando a situações problemas são muitas, pervasivas e afetam muitas áreas de vida, a personalidade do indivíduo como pode tornar-se afetada globalmente. 

Quando formados, as funções dos EID podem até ser consideradas uma defesa adaptativa perante um ambiente emocional negativo. Mas como eles tendem a persistir ao longo do tempo, eles tendem a recriar ou manter as situações adversas confrontadas desde a infância. Sendo origem de muitos problemas e sofrimentos na vida adulta. Algumas vezes os esquemas disfuncionais podem formar-se mais tardiamente na vida, por exemplo perante situações de bullying na escola. Além disso, um mesmo indivíduo pode apresentar mais de um esquema disfuncional. Alguns são considerados então primários e outros secundários. 

As escolhas afetivas e profissionais dos indivíduos podem refletir a presença e atuação de EID. Os fenômenos da paixão e a tendência à repetição de padrões de relacionamentos disfuncionais são conhecidos como “química do esquema”. Nessa situação, EID complementares estão por trás da ligação afetiva do casal, perpetuando e enrijecendo ainda mais aspectos disfuncionais de suas personalidades e do relacionamento. E terapia de casal, muitas vezes é possível inferir o esquema de uma pessoa, a partir do EID presente no parceiro. Quanto as escolhas profissionais, os EID impedem que as pessoas considerem um leque maior de alternativas, limitando as suas possibilidades de realização profissional. Além disso, também existe a possibilidade de serem identificadas transmissões intergeracionais de esquemas. Quando os esquemas dos pais direcionam a criação e transmissão de esquemas na geração seguinte.

Estilos de Confrontação

São três os estilos de apresentação dos EID, com base no funcionamento do Sistema Nervoso Autônomo, que o indivíduo utiliza para lidar com situações que ativam e os próprios esquemas disfuncionais ativados. O primeiro é conhecido como de submissão, quando a cognição, vida afetiva e os comportamentos do indivíduo são controlados pelo EID. O indivíduo age de acordo como o EID na maioria das situações problema. O segundo estilo é o de evitação, quando o indivíduo evita as situações que possam ativar o EID. E o terceiro estilo é chamado de supercompensação. O indivíduo esforça-se ao máximo para que os resultados afetivos temidos de seus esquemas não se materializem. Apesar de poderem variar a cada momento e situação, os indivíduos costumam apresentar preferências por estilo de enfrentamento dos esquemas. Mas independente do estilo empregado, todos eles resultam na perpetuação dos EID e consequentes dificuldades. Isso porque a realidade dos esquemas nunca é questionada, novas compreensões não são adquiridas e as situações problema tendem a se ampliarem.

Jeffrey Young e seus colaboradores identificaram 18 EID. Considerando os diferentes modos, agrupamentos e estilos de enfrentamento, existe grande diferença, mesmo entre indivíduos com os mesmos transtornos, de apresentação dos esquemas. As variações e as possibilidades são múltiplas, complexas e profissional precisa estar preparado para identifica-las. 

Succession

Uma série norte-americana premiada e de muito sucesso está disponível na HBO, é chamada em português de Sucessão.  São três temporadas e com uma quarta já contratada. A história conta a saga de uma família rica e poderosa, proprietária de um conglomerado multibilionário de mídia global. A interação recíproca do patriarca, lutando para permanecer relevante, com seus quatro filhos, candidatos a sucedê-lo, traz drama e um humor amargo para o programa. São muitas as disfuncionalidades, sendo marcante a competição por poder e prestígio, em detrimento de considerações com sentimentos ou afeto.

Análises psicológicas de personagens da série e estudos de processos sucessórios em grandes empresas não são inéditos. Mas a Terapia do Esquema tem pode contribuir para a compreensão da trama, dado seu interesse em relacionamentos familiares disfuncionais, escolhas afetivas e profissionais e a transmissão intergeracional dos esquemas.

Metodologia

A série servirá como exemplificação da atuação de esquemas disfuncionais. Apresentaremos um esboço biográfico dos principais personagens, seguido da descrição de um EID estilo de enfrentamento que acreditamos estar presentes em cada um deles. A seguir serão apresentadas citações paradigmáticas dos personagens que possam corroborar a atuação do esquema. O funcionamento de díades disfuncionais também é bastante informativo, sendo assim, o processo será repetido em relação aos personagens que fazem par com os membros da família principal. 

Como os personagens são muitos, este trabalho será apresentado de forma gradual. Semelhante a episódios de uma temporada de uma série. Ele é provisório e não deve ser visto como um estudo de caso clínico real. Sendo assim, convidamos os colegas enviarem seus comentários, trazerem suas indagações e até contribuírem com a visão de outras escolas de psicologia. 

Finalmente, assistam a série, porque seus atores e o roteiro têm muita qualidade.

Dados da Biografia de Siobhan (Shiv) Roy 

Terceira e única filha do sexo feminino de Logan Roy, CEO da Waystar Royco. Atualmente ela é a Presidente das Operações Domésticas e acionista minoritária do conglomerado. É casada com Tom Wambsgans, presidente do canal mundial de notícias da empresa. O casal não tem filhos e reside em Nova York.  Compete com os irmãos pela atenção do pai e tem relação conflituosa com a mãe, a penúltima esposa de Logan.

Por ser mulher, foi considerada inepta pelo pai, sendo a última da família a fazer parte do bloco familiar de administração do conglomerado. Teve sucesso e adquiriu prestígio como consultora de políticos liberais do Congresso Americano, defendendo igualdade de direitos para homens e mulheres; negros e brancos. Plataforma política contrária às posições conservadoras esposadas pela Waystar Royco. Situação de alguma complexidade, sendo então atraída para a empresa, seduzida por Logan Roy, pela promessa de eventualmente vir a se tornar sua sucessora como a futura CEO da empresa. 

Possui capacidade natural de liderança. Também como pontos positivos apresenta inteligência, sofisticação, charme e iniciativa.  É bastante criativa e conseguiu aproveitar muitas situações adversas como oportunidades apresentadas a favor seu e da empresa. Entretanto é desconectada de si mesma, perdida em uma busca incessante e solitária por poder pessoal. Sendo assim, em muitas situações pode se revelar como uma pessoa implacável, ardilosa e cruel. Também costuma menosprezar ou depreciar as pessoas que cruzam seu caminho, se as perceber em posição de fraqueza.

Sente-se atraída por homens menos inteligentes e sucedidos do que ela. Tem a necessidade de controlar e de ser a força dominante nos relacionamentos. No casamento já foi infiel e costuma utilizar seu marido como um instrumento para melhorar sua posição perante a família. Consegue a sua submissão com a promessa de, sendo ela a sucessora, ele ficaria garantido nos cargos superiores da empresa. 

Resumo do Esquema de Desconfiança/Abuso

Expectativa constante de que as pessoas irão machucar, abusar, humiliar, enganar, trapacear, mentir ou tirar vantagens. Geralmente com a percepção de que o dano é intencional. E que sua posição terminará pior, relativamente à dos demais. 

Estilos para lidar e que perpetuam o esquema:

  1. Submissão: escolhe companheiros abusivos e permite abusos.
  2. Evitação: evita tornar-se vulnerável ou confiar em alguém.
  3. Supercompensação: usa e abusa de pessoas, antes que lhes façam o mesmo.

Esses pacientes não tem a expectativas de que as pessoas serão honestas, diretas, sinceras ou que levarão em conta seus sentimentos. Considera que as pessoas são egoístas e não se importam em prejudicar outros em prol de seus próprios desejos.  

Pessoas com esse esquema geralmente evitam situações de intimidade e não compartilham pensamentos ou sentimentos. Mas ocasionalmente permitem proximidade em demasia, o que propicia serem eles, por sua vez, abusados e enganados. Finalmente, eles mesmo também podem buscar ferir ou enganar outras pessoas. Dessa forma, podem estar presentes, na mesma pessoa, os comportamentos de vítima e de abusador, a partir do estilo de enfrentamento perante cada situação problema.

Pessoas com esse esquema constantemente aplicam testes, para determinar até que ponto outras pessoas podem ser dignas de confiança. Também podem se ver como protetores de pessoas desprivilegiadas, manifestar indignação perante abusadores ou. Em outros momentos, desprezo perante pessoas abusadas.

Situações paradigmáticas da personagem, que manifestam a presença do esquema de desconfiança. Os diálogos são adaptações (spoilers).

Relacionamento com o marido: além de utilizar para defender suas posições, sempre busca colocar Tom em posição subalterna e ter controle sobre ele.

  1. Na noite de núpcias lhe propôs, de forma inesperada, que tivessem um casamento aberto. Em um momento em que ele não podia negar. 
  2. Em uma recepção que precedeu o casamentou comentou sobre o futuro marido com um flerte: “Não, ele apenas é um cara que está trabalhando para mim”. 
  3. Antes de uma relação: “Pode ser que eu não te ame…, mas eu te amo”. E quando Tom recusa um ménage à trois com uma funcionária: “Parece que você está querendo que nosso casamento se torne apenas uma relação de casal”
  4. Shiv recebe o apoio de Tom na luta pela sucessão, apesar de não lhe contar tudo que ocorre no seio da família Roy. Procurando tranquilizá-lo: “Lá no alto Tom. Ainda não sei. Veremos depois. Tem muita coisa acontecendo”
  5. Quando Tom foi um dos acusados, de acobertar casos de abusos sexuais na Waysta Royco. Ele teve medo de perder sua posição na família, enquanto estivesse cumprindo pena. Como garantia solicitou Shiv para terem um filho. Shi primeiro recusou: “Não quero ser a porra de sua incubadeira”. Depois oferece congelar seus óvulos para sempre ser possível terem um filho por inseminação artificial. 

Por ser a mulher com o mais alto cargo, conhecida como defensora de políticas liberais, Shiv, para mostrar seu valor e agradar seu pai, concordou em ser a porta-voz da empresa contra as acusações de abuso. 

  1. Teve sucesso em demover uma ex-funcionária, de testemunhar em uma Comissão de Inquérito. Primeiro agendou uma reunião em um playground, onde os filhos dela brincavam. Argumentou: “Estou aqui também como uma mulher e apenas para escutar”. “Também não confio em meu pai e quero mudar a empresa para melhor, mas de dentro”. “E isso é algo que talvez possamos fazer juntas, desde que você concorde em não testemunhar”. “Você não deveria confiar em ninguém, eu posso ter a minha própria, mas os senadores também têm suas próprias agendas”. “No final, seu lar poderá ser destruído. E para que? Você tem que pensar nos interesses de seus filhos.” Também oferece uma recompensa financeira.
  2. Antes comentou com executivos da empresa: “Precisamos parar com essa lamentação sobre estupros.” E como classificou seu papel: “Missão feminina e habilidades interpessoais para um trabalho feminino de merda”. Depois instigando seu pai para lhe recompensar com a nomeação de CEO: “Puta que o pariu, pai. Apenas conte de uma vez para a família que serei eu!”

Não confia na família e dos funcionários da empresa.

  1. Quando se sente deixada de lado nas decisões, costuma indagar: “Isso acontece por que sou mulher?” 
  2. No final da temporada, descobre que seus pais refizeram o acordo de divórcio, que garantia aos filhos participarem da administração da empresa: “Acabamos de entrar e surpreendemos mamãe e papai juntos nos fodendo”. Tentando argumentar contra: “Mamãe, você cortou nossas gargantas!”, “Sério mãe? Que merda! Como ele te enganou?”. Fica sem palavras ao perceber que seu marido também fez parte do conluio. 

Dados Biográficos de Tom Wambsgans

Alto executivo da Waystar Royco e marido de Shiv Roy. Têm ascendido na empresa, respondendo por cargos de importância crescente. Atualmente é CEO da ATN, rede mundial de telejornalismo do conglomerado.  

Originário do estado de Minnesota, sua vida pregressa é pouco conhecida. Aparentemente sua família era humilde, mesmo assim formou-se na Cornell University. Possui boa capacidade administrativa, desempenhando a contento suas funções na empresa. Além disso, como pontos positivos, tem inteligência emocional, charme e um bom senso de humor.

Se sente atraído pelo poder e prestigio da família Roy, algumas vezes humilhando-se a si mesmo na busca de aceitação pelos mesmos. Entre outras coisas, permite que sua esposa o utiliza como instrumento, sem deixar de atender os desejos do chefe da família, Logan Roy. Espera ser recompensado pela sua fidelidade. Tem receio de ficar de fora da empresa num instante, por não fazer parte da família original.

Tom tem gosto pelo luxo, como roupas caras e vinhos de alta qualidade. Busca domínio nas áreas de sua responsabilidade, podendo ser arrogante e ter dificuldade para controlar sua agressividade contra subordinados. Pode ser inescrupuloso e um oportunista frio na defesa de seus interesses. Muito assustado pela possibilidade de vir a ser preso por ter acobertado abusos quando era CEO da Divisão de Cruzeiros da Waystar Royco

Algumas Características do Esquema Superioridade/Grandiosidade

A crença de ser superior a outras pessoas, com talentos, direitos e privilégios especiais. Ou de não estar limitado a regras que orientam as interações sociais normais.  

Foco exagerado na superioridade, por exemplo, anseio por estar entre os mais bem sucedidos, famosos e milionários, com a intenção de obter poder ou controle. Algumas vezes inclui competividade excessiva contra ou para domínio de outros. Quando então pode reafirmar o seu próprio poder, forçar seus pontos de vista, ou controlar o comportamento de subalternos, à revelia do que possam estar sentindo.  

Quando aos etilos de enfrentamento, o esquema de superioridade pode apresentar as seguintes variações:

  1. Submissão: assedia moralmente as pessoas para atingir suas pretensões e se vangloria de forma arrogante de suas conquistas.
  2. Evitação: evita situações aonde possa ser considerado mediano ou não superior.
  3. Supercompensação: assente excessivamente às necessidades de terceiros.

  Alguns pacientes podem ainda apresentar algumas características de dependência, quando se sentem no direito de serem cuidados ou protegidos por terceiros. Eles acreditam que os outros tem obrigação de atender suas necessidades, até mesmo de alimentação, vestuário e abrigo, podendo ficarem com raiva quando alguém não os atende nesses sentidos.

Situações paradigmáticas que podem indicar a presença do esquema de superioridade (spoilers).

Tom se queixa que sua esposa Siv não tem prestado atenção à sua situação em geral posição na empresa.

  1. Ressente-se de falta de reciprocidade “Seria bom descobrir que nós não temos um portfólio amoroso desbalanceado!”. 
  2. Em alguns momentos poderia parecer que preocupação esta relacionada aos aspectos sentimentais do casal: “Fico me perguntando a tristeza de não estar com você é menor do que a de estar com você!” 
  3. Mas o que lhe motiva a mudar o comportamento em relação a esposa é ser prejudicado pelas atitudes da esposa e seus irmãos: “Humm! E eu? Como ficaria minha situação na empresa com isso, Shiv?” 
  4. Ao comentar uma mudança de posicionamento de um funcionário da empresa: “O que, você se vendeu por um relógio?”

Tom se voluntariou para ser preso no lugar de Logan Roy, mas essa perspectiva foi causa de muita angustia.

  1. Preocupado, procurou se informar em como seria a vida na prisão: “Estou estudando, nos blogs de como é a vida na prisão”. “Quando penso sobre isso, muitas vezes, sinto-me bastante infeliz”. Por exemplo, descobriu que a única maneira de continuar tomando vinhos, seria fabricá-lo com ingredientes presentes na penitenciária.
  2. Procurou aumentar o número de relações ao descobrir como seria o sexo de prisioneiros.”
  3. Mas também estava preocupado em garantir sua continuidade como fazendo parte da família Roy: “Contei termos ainda uma janela de pelo menos seis ovulações para você poder engravidar antes de eu ser preso.” Mesmo assim, por estar envolvida com a política interna da empresa, Shiv não demonstrou empatia por sua situação. 

Tom procura agradar pessoas que possam auxiliá-lo a ter algum ganho pessoal.

  1. Se oferece para ser o bode expiatório de Logan Roy, oferecendo-se para ser preso em seu lugar: “Não vou vacilar”, como seus filhos fizeram”.
  2. Na véspera de seu casamento, não ficou abalado quando Logan comentou que era absurdamente inferior para ser um marido apropriado para sua filha, quando comentou com Shiv: “Eu que ficarei feliz em ser chamado Tom Roy, você não precisa mudar seu sobrenome”. 
  3. Chegou a engolir o próprio sêmen na festa de despedida de solteiros com seus novos parentes ricos: “Foi bom, porque foi como se eu não tivesse traído. O esperma permaneceu em meu corpo; como em uma alça de um sistema fechado”.
  4. Alertando um primo para não se aliar contra Logan: “Ele sempre vence. E vai retribuir jogando um milhão de aranhas venenosas dentro de seu pequeno pênis” 

Mas pode ser duro com pessoas que percebe em posição momentânea de inferioridade.

  1. Quando o filho de Logan, que havia sido deixado de lado na empresa, o convida para ser seu aliado: Tenho um palpite é que você vai se ferrar. Porque já vi muitas vezes você se ferrando e nuca vi o Logan se ferrar”.
  2. Muitas vezes justifica suas atitudes com Gregg, seu subalterno na empresa e primo de Shiv: “Você não pode fazer uma Tomelette sem quebrar alguns Greggs” ou “Gregg, isso aqui não é a porra do mundo de Charles Dickens, okay? Você não pode sair por aí falando sobre princípios morais.”
  3. No final convida Gregg para lhe apoiar em uma aliança com Logan, contra sua esposa e seus irmãos: “Nero jogou sua esposa grávida escada abaixo. Depois castrou e casou com seu escravo favorito, Sporus… Você quer ser o meu Sporus?”  Continua: “Você poderia sair do meio e chegar à parte de baixo de cima e ter como uns 40 Greggs abaixo de você.”  

Considerações Finais

De acordo com os fundamentos teóricos da Terapia do Esquema é possível ser feito um prognóstico do que acontecerá com a díade Shiv e Tom na próxima temporada da série. No último episódio, Shiv foi traída e frustrada em suas pretensões, em um conluio simultâneo de seus pais e marido. Mais uma vez confirmando o esquema de desconfiança/abuso. A continuidade do esquema pode consolidar os traços disfuncionais da personalidade de Shiv.

O mesmo pode ser dito em relação a Tom. Com sua traição ele garantiu sua posição privilegiada na Waystar Royco, também confirmando o esquema de superioridade/grandiosidade. Os esquemas disfuncionais do casal são complementares. Shiv foi traída em sua confiança e Tom foi recompensado por seu posicionamento contra sua esposa. Assim a díade propicia a confirmação recíproca de seus esquemas, enrijecendo esse relacionamento, onde um precisa do outro para confirmar suas visões distorcidas da realidade. Garantido mais drama para a série.

41 3022-2947
WhatsApp: (41) 9 9263-2977
contato@iptc.net.br

SEDE INSTITUCIONAL
Rua Emiliano Perneta, 822 sl 1201
Centro, Curitiba / PR

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Emiliano Perneta, 10 sl 603
Centro, Curitiba / PR

IPTC - Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva.