Ansiedade de separação na infância e a TCC IA

Ansiedade de separação na infância e a TCC IA

O medo é um sentimento comum na vida de todos, sendo uma reação natural do corpo diante uma possível ameaça. Sendo assim, muitas crianças sofrem com a ansiedade de separação.

Toda criança passa pelo estado de nervosismo quando se vê distante das figuras de apoio e, ainda que esse nervosismo seja natural, a ansiedade de separação é algo mais complexo.

Quer saber mais sobre a ansiedade de separação e como ela pode ser tratada pela Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) dentro de sua clínica? Continue a leitura.

O que é o transtorno de ansiedade de separação infantil?

O Transtorno de Ansiedade de Separação (TAS) pode ser entendido como uma reação anormal frente a uma separação de uma figura de apoio (mãe, pai, irmão, etc), sendo que essa separação pode ser imaginária ou real.

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV-R) afirma que o diagnóstico pode ser desenvolvido se o paciente apresenta ansiedade além do esperado para o seu nível de desenvolvimento. Além de durar mais de quatro semanas, começar antes dos 18 anos, causa sofrimento ou prejuízo significativos (American Psychiatric Association, 2000). 

O TAS é caracterizado pelo sofrimento intenso ou medos irreais e excessivos diante da separação de entes próximos (normalmente na figura de pais) ou até do lar (American Psychiatric Association, 2000).

Nesse contexto, existem três características chaves do transtorno de ansiedade de separação: o medo excessivo e persistente ou preocupações antes e no momento da separação, sintomas comportamentais e somáticos antes, durante e depois da separação; e esquiva persistente ou tentativas de escapar da situação de separação. 

Esse sofrimento intenso normalmente está vinculado à sensação de medo por achar que algo ocorra aos seus pais (medo de que eles desapareçam, se percam ou se esqueçam dela) ou que algo ocorra com ela mesma (medo de ser raptada ou morta se ela não estiver próxima a seus pais). 

Quando isso ocorre, os sintomas mais comuns são:

  • Dores de cabeça;
  • Dor abdominal;
  • Desmaios;
  • Vertigens;
  • Tonturas;
  • Pesadelos;
  • Dificuldades para dormir;
  • Náusea;
  • Vômitos;
  • Cãibras;
  • Dores musculares;
  • Palpitações e dor torácica.

Quais são os sintomas do transtorno de ansiedade infantil?

Um dos sintomas mais típicos do Transtorno de Ansiedade de Separação Infantil são as cenas dramáticas em contextos de despedidas, as despedidas são normalmente muito difíceis para as crianças. Com isso, elas tendem a chorar e implorar desesperadamente para prolongar a separação, tornando-a cada vez mais inatingível.

Depois que o pai ou a mãe de fato vão embora, as crianças se fixam na ideia de estarem novamente com ele ou ela, contando os minutos para que esse momento chegue. Enquanto estão separadas, o paciente normalmente faz de tudo para saber onde o pai ou a mãe estão, se preocupando ao pensar que algo terrível poderia acontecer a elas ou aos seus pais. 

O fato de viajar sozinho é praticamente impossível para pacientes com TAS. Além disso, muitos deles tendem a se recusar a ir à escola, a um acampamento ou sair de casa para qualquer outro lugar. Algumas crianças são incapazes de ficar sozinhas num quarto, agarram-se a um dos pais ou seguem-no como uma sombra pela casa.

Dormir também é desafiador para esses pacientes. As crianças com transtorno da ansiedade de separação podem insistir para que alguém fique no quarto até elas adormecerem, para se sentirem mais seguras.

Como trabalhar com casos de ansiedade de separação na TCCIA?

Existem diversos estudos randomizados controlados que têm mostrado a eficácia de curto e longo prazo da Terapia Cognitivo-Comportamental na melhoria dos transtornos de ansiedade na infância. 

Assim como qualquer outra abordagem, a TCC tem como foco o desenvolvimento de confiança e autonomia do paciente, proporcionado através de um repertório comportamental saudável. 

A Exposição e Prevenção de Resposta são fundamentais para a aplicação das técnicas da TCC para o tratamento de casos de TAS. Antes de tudo, o terapeuta inicia o trabalho com o paciente, que será orientado a listar as principais situações que provocam ansiedade.

A partir dessa lista, o terapeuta orienta a criança a definir notas para cada situação de acordo com o nível de medo e grau de evasão, em uma escala de Likert de 0 (nenhuma) a 10 (extrema). Essa lista é o ponto de partida do terapeuta, que irá mapear, então, quais as melhores técnicas para o tratamento de cada ponto levantado.

O Transtorno de Ansiedade de Separação é um quadro complexo e que causa bastante sofrimento para várias crianças. Cabe aos familiares observar atentamente a manifestação de sintomas físicos e quaisquer mudanças no comportamento das crianças, para que o tratamento inicie o mais breve possível.

Levando seus tratamentos para um próximo patamar

Como você viu no texto, a Terapia Cognitiva-comportamental (TCC) é muito utilizada para o tratamento da ansiedade da separação infantil. E que tal você se tornar um especialista em TCC para poder impactar ainda mais a vida de seus pacientes?

O IPTC conta com um curso de Terapia Cognitiva-comportamental na infância e adolescência totalmente voltado para a prática! Você terá aulas sobre o assunto com uma estrutura e metodologia validadas por nossos +1.000 alunos.

Conheça mais sobre a especialização em Terapia Cognitiva-comportamental na infância e adolescência.

41 3022-2947
WhatsApp: (41) 9 9263-2977
contato@iptc.net.br

SEDE INSTITUCIONAL
Rua Emiliano Perneta, 822 sl 1201
Centro, Curitiba / PR

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Emiliano Perneta, 10 sl 603
Centro, Curitiba / PR

IPTC - Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva.