O que é Síndrome de Burnout? – Saiba Tudo Sobre o Esgotamento Profissional

O que é Síndrome de Burnout? – Saiba Tudo Sobre o Esgotamento Profissional

A síndrome de burnout, também conhecida como esgotamento profissional, é um estado mental de estresse extremo e crônico, usualmente atrelado a carga excessiva de trabalho. É um tipo de resposta prolongada a estressores emocionais no trabalho.

O quadro consiste no trabalhador que antes era envolvido com seus pacientes, com seus clientes ou com o trabalho em si, mas em determinado momento ele perde sua energia, e esgota-se. O termo burnout possui origem no termo em inglês, em que quer dizer que a pessoa “queima” até o fim as suas energias.

O trabalhador passa então a ficar desinteressados pelo serviço, perdendo o sentido para o profissional e fazendo com que qualquer esforço lhe pareça inútil.

Segundo Maslach e Jackson, a síndrome é composta por três elementos centrais:

  1. Exaustão emocional (desgaste emocional, esvaziamento afetivo)
  2. Despersonalização (reação negativa, insensibilidade, afastamento excessivo do público que deveria receber os seus serviços ou cuidados)
  3. Diminuição do envolvimento emocional com o trabalho (sentimento de incompetência)

Quem sofre mais com a Síndrome de Burnout?

O grupo de pessoas que mais sofre com a síndrome de burnout são principalmente profissionais das áreas de serviços, que possuem contato direto com os usuários. Alguns desses grupos seriam: professores, profissionais da saúde, policiais, assistentes sociais, agentes penitenciários, atendentes de telemarketing, entre outros.

O risco da síndrome de burnout é maior para aquelas pessoas que possuem a ameaça de mudanças repentinas na jornada de trabalho e possível declínio na situação econômica.

Sintomas e Diagnóstico

Como sintoma da síndrome de burnout, podemos observar o principal que seria a sensação de cansaço e esgotamento físico e emocional. Ao mesmo também, também é observado sintomas como:

  • Agressividade
  • Afastamento das atividades
  • Sentimento de impotência para realizar o que foi proposto
  • Isolamento
  • Dificuldade para se concentrar
  • Pessimismo
  • Baixa autoestima

Podem aparecer também sintomas depressivos e ansiosos de acordo com o caso, como falta de motivação e desânimo acentuado.

Além disso, podem estar presentes sintomas físicos como dor de cabeça, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares e manifestações gastrointestinais.

Para que seja feito o diagnóstico, deve ser observado a história do paciente e como se dá sua relação com o trabalho.

Consequências da Síndrome de Burnout

As consequências da síndrome de burnout podem afetar não somente o campo profissional da vida do paciente, mas também seus relacionamentos com a família e colegas de trabalho.

Por conta da maior agressividade e afastamento, a pessoa passa a relacionar de forma mais fria com as pessoas ao seu redor. O sentimento de esgotamento, de falta de energia também contribui para que não sejam mantidos os vínculos sociais tão fortes.

No trabalho, consequências como brigas e desentendimentos com os colegas podem ser apresentados. Assim, atividades que demandem trabalho em equipe são totalmente prejudicadas.

A produtividade também é outro ponto que é muito afetado por conta da síndrome. Todos os sintomas de esgotamento, cansaço, agressividade e falta de concentração contribuem para que a pessoa produza menos no trabalho.

Tratamento para a Síndrome de Burnout

O tratamento da síndrome de burnout é feito por meio de psicoterapia, tratamento medicamentoso e intervenções psicossociais. Para cada caso, deverá ser avaliado quais os métodos de tratamento mais eficazes, dependendo da gravidade e suas especificidades.

Psicoterpia

A psicoterpia é indicada para que o paciente possa ressignificar sua inserção no trabalho e em sua vida. Como o paciente encontra-se em uma situação de fragilidade e forte desinteresse em tudo que antes lhe era interessante, é essencial que haja esse suporte emocional.

Uma abordagem que é utilizada dentro da psicologia para tratar a síndrome de burnout, é a Terapia Cognitiva-Comportamental.

==> Quer saber mais sobre a Terapia Cognitiva-Comportamental?

Medicamentos

Por conta da possível presença de sintomas depressivos e aniosos, remédios antidepressivos e ansiolíticos podem ser recomendados para o paciente.

É importante que haja um acompanhamento de um psiquiatra, para prescrição dos remédios de acordo com o caso, para dosagem correta, tendo em vista que são medicamentos fortes.

Intervenções Psicossociais

Dependendo do caso, o médico deve avaliar a indicação de afastamento do trabalho, para realização do tratamento, como também ajudar o paciente no seu retorno. É ideal que isso seja feito em conjunto com o paciente.

A equipe de saúde deve estar sempre bem preparada para justificar suas recomendações para a organização onde o paciente trabalha. É também ideal que o médico esteja apto a lidar com as situações que surgirão após o retorno do cliente, com o risco de demissão, por exemplo.

41 3022-2947
WhatsApp: (41) 9 9263-2977
contato@iptc.net.br

SEDE INSTITUCIONAL
Rua Emiliano Perneta, 822 sl 1201
Centro, Curitiba / PR

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Emiliano Perneta, 10 sl 603
Centro, Curitiba / PR

IPTC - Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva.